segunda-feira, 31 de maio de 2010

Eu não ia escrever sobre casamento - Postagem Temática

Eu queria realmente ter escrito sobre esta temática do Postagem Temática, o casamento. Mas eu já falei tanto sobre casamento nos meus posts que achei que não valia a pena ser repetitiva. Além do mais, depois do meu casamento eu sei tanto e tão pouco sobre casamento.. que preferi ficar mais uma vez só de espectadora dos escritos do pessoal.
No fim das contas, os posts que mais me chamaram a atenção foram os do pessoal que nunca se casou.. principalmente sobre suas fantasias sobre o que é estar casado e sobre seus desejos do que seja. Sobre as arriscadas de “como fazer um casamento dar certo” ou sobre os questionamentos do tipo “será que esta instituição tem mesmo jeito?”.
O que eu percebo, principalmente por ele ter sido a temática escolhida dentre tantas outras boas, é que casamento ainda mexe muito com a cabeça das pessoas. Com os casados, os descasados e os solteiros. Veja bem, você mesmo, diga a verdade, volta e meia, tenha você a idade que tiver, acaba por se pegar falando de casamento com alguém, mesmo que seja pra criticar.
O que eu me proponho a pensar, mas não consigo achar uma resposta concreta é: por que este é um assunto que permanece tão na superfície em nossos processos do dia-a-dia? Em nossas conversas de botequim ou rodas de chimarrão? Por que o pessoal do Postagem Temática escolheu o tema pra desenrolar?
Poderia ser pelo valor social que o casamento tem, poderia ser pela implicação na vida das pessoas (seja dos pais ou amigos casados, seja do seu próprio casamento, seja da sua preocupação em se casar). Mas não. Eu acho que isso fica assim tão na beira por que é a maneira mais concisa de se falar em solidão, em fusão, em vida a dois, em construção. A maneira mais rápida de se trazer à tona temas como desilusões, descrença ou os seus opostos. Pode-se abarcar um sem-número de assuntos, sentimentos e fantasias com esta única palavra: o casamento.
Qual a minha opinião? Eu já fui casada.. já pude comprovar várias das teorias descritas pelo pessoal e pude refutar outras, provavelmente não por que estejam incorretas, mas por que cada vivência é única. Como eu disse, eu não sei por que todo mundo tem essa mania de casamento, mas mesmo que seja para pensar tristemente e com suspiros de modo “ah, eu não sirvo pra isto”, este é um assunto absoluto. Eu não sei se um dia volto a me casar. Acho que eu espero que sim, mas ao mesmo tempo espero que até lá a instituição do casamento já seja vista com outros olhos, ou talvez somente com os olhos que sempre deveria ter sido vista. O que eu sei é que quando e se eu casar, eu quero que seja uma coisa natural como é natural ter uma família e laços de sangue. Embora eu saiba que é tudo verdade, não quero ouvir falar de esforços, de separações, de seguidas em frente. Só de ciclos, os ciclos das coisas naturais em família e das relações humanas.

Este post faz parte do projeto Postagem Temática pelo BlogSintonizados

5 comentários:

Poem Land..."Por que perder-se também é caminho!" disse...

Nossa, eu sempre fantasiei sobre o casamento, no meu imaginário,isso é o apice de um relacionamento amoroso, mas como sempre o sonhador vê além, também creio que o casamento ha de ser sempre natural!
Beijos querida!

brughiorzi disse...

Natural você diz, eu tento mas o problema são os outros (O inferno são outros...). Nós não usamos a palavra "casamento", parece que ela pesa, pressiona, sufoca. É o peso de ter ficado tanto tempo falando mal da instituição. Você tem razão, para ser melhor, tem que ser natural. Um bjo.

Julianne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julianne disse...

de novo...

eu tenho uma visão parecida com a da menina no primeiro coment:

casamento = ápice de um relacionamento amoroso.

o que muita gente não sabe é que nem namoro, nem casamento, nem relação nenhuma é perfeita e nunca vai ser. cabe à pessoa saber se este é o momento certo (a vida tem mto de "momentos certos") e se ela está apta a fazer uma troca, a dar e receber, e não apenas apontar os defeitos dos outros.

beijos!

Rosana Tibúrcio disse...

Não tem como casamento deixar de ser tema na vida das pessoas. Não da forma com que a sociedade é constituída.
Sempre será assunto. E tem mais aquela máxima nem sempre verdadeira em sua totalidade, mas de grande valor: "que tá fora quer entrar; quem tá dentro, quer sair."